ACUPUNTURA URBANA NA COMUNIDADE SERVILUZ, EM FORTALEZA-CE Biofilia, Conectividade e Bem-estar [URBAN ACUPUNCTURE IN THE SERVILUZ COMMUNITY, IN FORTALEZA-CE Biophilia, Connectivity and Well-being]

Laura S. Rios, Liana S. Feingold, Alana Aragão, Rafaela Vasconcelos

Resumen


Este artigo se concentra em discorrer e analisar a especificidade e as consequências decorrentes da adoção de uma metodologia participativa em projetos de arquitetura e de intervenção urbana designada como EU SINTO – EU PROJETO – EU REALIZO – EU CONECTO, da qual é entendida aqui como uma proposta que têm como ponto inicial a partilha das atividades da produção em arquitetura e urbanismo com o usuário. Busca-se saber se os processos da metodologia citada promovem, de fato, a produção de um espaço menos determinista em relação ao seu uso, a emancipação dos sujeitos e o estímulo ao sentimento de pertencimento. Com essa intenção, analisa-se, especificamente, essa experiência de intervenção urbana, o workshop de Acupuntura Urbana, proposto pelo ateliê Estar urbano, realizado em Fortaleza no ano de 2018. A análise busca transcender o campo dos resultados físicos de melhorias estruturais do espaço, através da observação do impacto da intervenção e do formato de aplicação nos atores envolvidos durante e após a realização do projeto. Aborda também conceitos já incorporados à acupuntura urbana e ao urbanismo tático assim como à construção e à aplicação do conceito remetendo à uma análise das ações desenvolvidas por instituições de pesquisa e ensino, movimentos sociais, organizações não-governamentais e governamentais.

Palavras-chave: acupuntura urbana, urbanismo tático, biofilia, urbanismo colaborativo.

Linha de Investigação: 3:   Dinâmicas Urbanas:  Urbanismo insurgente e coletivos urbanos.

 

ABSTRACT

This article concerns about describe and analyze the specificities and consequences of the use of a participative methodology in architecture projects and urban interventions called I FEEL – I DESIGN – I ACCOMPLISH – I CONECT, in which is understood here as a propose that has as an initial point share de activities of production in architecture with the future user. Is looked to know if the process of the methodology applied promote, in fact, de production of space less determinate related to its use, the emancipation of the community and stimulus of the feeling of belonging. With that intension, is analyzed, mostly, an experience of an urban intervention, the workshop of Urban Acupuncture, suggested by the studio Estar Urbano, accomplished in Fortaleza in 2018. The analysis searches to transcend in the field with physical results of structural improvements in the space, through observation of impact of the intervention and of its application format in the community involved during and after the making of the project. It also addresses the concept of embody Urban Acupuncture and Tactical Urbanism, as well as the construction and application of the concept referring to a analysis of actions developed by institutions of research and teaching, social movements, non-governmental organizations e governmental.

Keywords: urban acupuncture, tactical urbanism, biophilia, collaborative urbanism.

Research Line: 3: Urban Dynamics: Insurgent urbanism and urban collectives.




DOI: http://dx.doi.org/10.5821/siiu.10178