Áreas Metropolitanas de Belém e Brasília: novos recortes para análise

Ricardo Batista Bitencourt, Ramon Fortunato Gomes

Resumen


No cenário globalizado das cidades contemporâneas, das trinta e cinco áreas metropolitanas brasileiras, grande parte definidas sob a égide da Constituição Federal de 1988, emergem dois tipos de metrópoles: as funcionais e as formais, cujos arranjos institucionais, incipientes e oportunos, dificultam a gestão de uma realidade em desenvolvimento. Entre elas, a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal (RIDE DF) e a Região Metropolitana de Belém (RM Belém).O pressuposto de que o conhecimento dos reais perímetros (metrópole funcional), para além daquelesdefinidos em lei (metrópole formal), contribui para a melhoria da aplicação de recursos e para o desenvolvimento urbano brasileiro, guia este artigo, interligado a um trabalho investigativo maior concentrado na morfologia urbana, visando identificar, por meio de critérios (população, densidade, dispersão, crescimento populacional, distâncias e tempos de viagem) seus perímetros metropolitanos funcionais.



DOI: http://dx.doi.org/10.5821/siiu.9079