AS VILAS DOS SERTÕES DO NORTE E AS PREEXISTÊNCIAS AMERÍNDIAS: urbanismo, arqueologia e encontro cultural no século XVIII

Esdras Arraes

Resumen


O ensaio reflete sobre a construção dos espaços de determinadas vilas coloniais localizadas nos territórios dos sertões das capitanias do Norte. Põe luz sobre a interação cultural entre ameríndios e adventícios (africanos e europeus) nos processos de urbanização. Segue, portanto, uma metodologia recente no estudo do urbanismo e da urbanização da América portuguesa direcionada, no âmbito da Arquitetura e Urbanismo, pelas pesquisas de Rafael Moreira, Rubens Gianesella e Nestor Goulart Reis. Como enfoque teórico-metodológico, o texto recorre às fontes primárias manuscritas, impressas e cartográficas que clarificam o papel do índio na construção urbana dos sertões do Norte. O ensaio busca mobilizar, em termos epistemológicos e empíricos, outras pesquisas a darem atenção ao papel do ameríndio na urbanização do Brasil, além de fundamentar novas leituras sobre o urbanismo brasileiro não circunscritas exclusivamente no discurso eurocêntrico.   

Palavras-chave: ameríndios, sertões do Norte, urbanismo, vila

Linha de investigação: 2: Cidade e Projeto

Tópico: História urbana e história do urbanismo

 

ABSTRACT

The essay reflects on the spatial construction of some colonial towns located in Northern Brazilian “sertões”. It bases upon cultural interaction between Amerindians and adventitious (Africans and Europeans). It adopt, hence, a recent methodology of urbanism studies and Portuguese America’s urbanization, which have been heading by Rafael Moreira, Rubens Gianesella and Nestor Goulart Reis researches. How methodological approach, the text calls on manuscript documents and cartographies that clarifying the indigenous agency in the urban construction of Northern “sertões”. The essay seeks

Keywords: Amerindians, Northern sertões, urbanismo, towns

Research line: 2: City and Project

Topic: Urban history and history of urbanism




DOI: http://dx.doi.org/10.5821/siiu.9719