HABITAÇÃO EM AMBIENTES EXTREMOS Áreas de várzea do Rio Solimões [HOUSING IN EXTREME ENVIRONMENTS Lowland areas of the Solimões River]

Jair Antonio de Oliveira, Célia Regina Moretti Meirelles, Lucas Fehr, Arthur Honold Lara

Resumen


As áreas de várzea do rio Solimões vêm passando por intensas transformações. Mudanças ligadas ao ambiente, ao clima, recursos florestais e o regime das águas, têm indicando novas abordagens quanto a produção da arquitetura vernacular na região. Observam-se também novas configurações culturais e possibilidades técnicas, que refletem diretamente quanto as soluções das edificações produzidas tradicionalmente. Nesse ambiente extremo, o nível do Rio Solimões pode variar até 15 metros entres os períodos de cheia e vazante, transformando o habitar em um desafio, de modo a levar as populações ribeirinhas na Amazônia a desenvolver soluções adaptativas, nômades, em uma configuração complexa em que a sustentabilidade é a diferença entre vida ou morte. O presente artigo busca contextualizar os processos formadores da Habitação Ribeirinha através do olhar sobre a casa, sua configuração e análise sobre seu uso, o espaço construído como interpretação do ambiente extremo, processos culturais e técnicos em constante transição.

Palavras-chave: Amazônia, Ambiente Extremo, Arquitetura Ribeirinha, Arquitetura Vernacular.

Linha de investigação: Cidade e projeto.

Tópico: Habitação e projeto residencial.

 

ABSTRACT

The lowland areas of the Solimões River have been undergoing intense transformations. Changes related to the environment, climate, forest resources and the water regime, have indicated new approaches regarding the production of vernacular architecture in the region. New cultural configurations and technical possibilities are also observed, which directly reflect on the solutions of traditionally produced buildings. In this extreme environment, the level of the Solimões River can vary up to 15 meters between periods of flood and ebb, making living a challenge, in order to take riverside populations in the Amazon to develop adaptive, nomadic solutions, in a complex configuration in that sustainability is the difference between life and death. This article seeks to contextualize the processes that form riverside housing through looking at the house, its configuration and analysis of its use, the built space as an interpretation of the extreme environment, cultural and technical processes in constant transition.

Keywords: Amazon, Extreme Environment, Riverside Architecture, Vernacular Architecture.

Research line: City and project.

Topic: Housing and residential project.




DOI: http://dx.doi.org/10.5821/siiu.9810