DEFESA DA MOBILIDADE A PÉ NO BRASIL Levantamento e análise exploratória de experiências de ativismo e incidência política [STANDING FOR FOOT MOBILITY IN BRAZIL Survey and exploratory analysis of activism and advocacy experiences]

Anna Gabriela Hoverter Callejas, Mariana Wandarti, Silvia Stuchi Cruz

Resumen


No contexto das eleições municipais no Brasil em 2020, desenvolvido no âmbito do projeto Como Anda, o artigo objetiva identificar e analisar experiências nacionais que influenciaram ações, projetos ou políticas públicas voltadas para a mobilidade a pé. Realizou-se um pré-mapeamento contendo 28 estudos de caso e selecionou-se 05 para uma análise aprofundada, com realização de 15 entrevistas semiestruturadas com atores-chave. Os resultados incluem a identificação e sistematização de 11 táticas e 55 ferramentas, categorizadas em: definir a teoria de mudança e plano de ação; mapear atores; definir estratégias de comunicação; engajar atores; expor a narrativa e disseminar conhecimento; coletar e disponibilizar evidências; pressionar tomadores de decisão e influenciadores; ocupar instâncias e processos públicos de participação; ocupar e transformar espaços da cidade; capacitar para revolucionar; apresentar alternativas. O estudo também explora a definição de “ativismo” e “incidência política” e a oportunidade de investigar e criar espaços para articulação desses grupos.

Palavras-chave: Mobilidade urbana, pedestre, ativismo, incidência política
Linha de Investigação: 2: 
Cidade e Ambiente
Tópico:
Acessibilidade e mobilidade sustentável

 

ABSTRACT

Considering the municipal elections in Brazil, in 2020, developed within the scope of the Como Anda project, the research goal is to identify and analyze Brazilian bottom up initiatives that influenced actions, projects or public policies regarding pedestrian mobility. A pre-mapping containing 28 case studies was carried out and 05 of them were selected for further analysis through semi-structured interviews with 15 key stakeholders. The results include the identification and systematization of 11 tactics and 55 tools, categorized as: define the theory of change and action plan; map stakeholders; define communication strategies; engage stakeholders; show a narrative and spread knowledge; collect and make evidence available; push decision makers and influencers; occupy public forums and processes of participation; occupy and transform spaces in the city; train to revolutionize; show alternatives. The article also explore the definition of "advocacy" and the opportunity to investigate and create spaces for movement articulation.

Keywords: Urban mobility, pedestrian, activism, advocacy

Research line: 2:  City and Environment

Topic: Accessibility and sustainable mobility




DOI: http://dx.doi.org/10.5821/siiu.9862