O crescimento urbano metropolitano e as mudanças socioespaciais

Autores/as

  • Sue Ellen Coccaro
  • Priscila Fonseca

DOI:

https://doi.org/10.5821/ctv.7845

Resumen

Esta pesquisa propõe-se a estudar a produção do espaço urbano no Brasil a partir da retomada das políticas sociais ligadas à habitação, debruçando-se sobre o caso da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Serão analisadas a expansão dos programas habitacionais em direção as periferias e as possíveis consequências socioespaciais deste movimento. O Estado, a fim de baratear o custo das moradias contribui para o isolamento das camadas desfavorecidas nas áreas distantes, precárias e com infraestrutura limitada. O referido processo já ocorreu anteriormente com as políticas do Banco Nacional de Habitação, porém, no momento atual, os limites físicos da metrópole têm sido ultrapassados. Espera-se constatar a importância das cidades médias e periferias metropolitanas para a produção de moradia e analisar a mobilidade intra/interurbana em função da intensificação destas relações. O aporte teórico teve como base autores que examinam a produção do espaço urbano e crescimento das cidades, tais como Corrêa (1999), Limonad (2007), Randolph & Gomes (2007) e Lopes de Souza (2001). A conjugação deste amparo teórico, aliado às averiguações provenientes da interpretação de dados atuais, servirá como alicerce para o desenvolvimento do trabalho.

Número

Sección

Artículos